sábado, 18 de julho de 2015

Vamos falar de perdão?

 

Não, não podemos falar sobre o perdão.

O amor também acontece no coração e muito se fala sobre ele.

E o perdão? Falo, logo, tudo perdoado.

Não, não podemos falar sobre o perdão.

O amor nasce e a palavra o alimenta (ou o mata de fome). Pode começar tufão ou ser apenas um sopro de amor. É falar dele que a imagem vem fresca. Ganha jardim. Voam os pássaros e as borboletas. Alcança-se um tronco torcido. Uma nuvem no céu. E pronto: o amor se inscreve. Até quando não há mais amor, se você fala dele o mantém vivo. É uma coisa sublime. Pode ser inventada.

O perdão é assim. Você recebe um aviso no peito: perdoa. Feito. Tranque o perdão e siga em frente. Sem tocar no assunto. Só que tem assunto com vontade própria. Vai você falar de perdão por isso, por aquilo e descobre: a porta está encostada. Dos infernos, o que você sente não é nem primo distante do perdão. Você quer morrer. Matar. Não adianta falar, você está longe. Longe de perdoar.

Dia desses, alguém disse: você perdoa quando não tem mais necessidade de falar.

Então, é isso? O perdão é calado?
Não chega anunciando feito amor. Nem quebrando pratos feito ódio.
O dia em que o perdão chega a gente nem sente. Senta e toma chá.

O perdão, suspeito, deve vestir manto branco. Envolve o coração e o faz parar de sangrar.

Perdão é paz?

Não, não podemos falar.



Foto 1: Sônia Ribeiro
Foto 2: Catarina Ribeiro
 Manto Mana, exposição "Maria de todos nós".

5 comentários:

  1. Mas um dia ele chega. E o chá, quentinho, desce suave pela garganta e para no peito, aquecendo o coração, as decisões tomadas e o espírito. É qd a gente olha pro lado e vê que a janela está aberta. :) Lindo texto minha linda. Saudades de vc!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ju! Também estou com saudades!
      Beijos

      Excluir
  2. Delicado texto, feito manto branco!
    Delicioso encontrar-te por aqui nesse santinho tão especial!
    beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana Paula, sempre delicada. Obrigada pela visita carinhosa! Um beijo

      Excluir
  3. Marília Lopes da Costa Facó Soares22 de julho de 2016 21:14

    Lindo texto!

    ResponderExcluir